19 maio 2013

Você tem se tornado um estranho. Os papos sobre amenidades estão cada dia mais escassos e aquela intimidade que parecíamos ter, esvazia a cada diálogo.

Há um certo tabu entre nós, uma conversa sobre quem nos move afetivamente é algo no ar, intocável. Não te culpo, apesar de concordar que você tem uma boa influência neste novelo cheio de nós. Em algum momento, acreditei que poderíamos ser amigos. Agora tento me encontrar e sair pela porta que entrei.

Deparo-me com o teu egoísmo e sinto-me conversando com a parede quando se trata de algo meu. É angustiante pensar que depositei tamanha confiança em algo que virou pó. Provavelmente, decorrente da minha teimosia de um dia, pensar que com você poderia ser diferente.

"isso de 'o sofrimento que você sente é sua culpa, não do que o outro faz com você' é uma mentira que tentam nos enfiar goela abaixo, nesses tempos em que ninguém é responsável por ninguém".  

retirada de uma conversa com uma das mulheres mais incríveis que tenho orgulho de conviver, mesmo que esporadicamente.


Nenhum comentário: