25 fevereiro 2013

Dizem que sou louco...

Quem é capaz de falar da sua loucura? Quem é capaz de determinar a linha entre a loucura e a normalidade? E por qual motivo há que se criar um termo para isso, já que o ser humano é tão individual, complexo e longe de ser tão parecido a outrém?
 
O que te faz pensar que os meus pensamentos não podem ser apenas meus, mesmo que exteriorizados? E que se você me colocar num hospital psiquiátrico, eles deixarão de existir?
 
Deixe-me com os meus pensamentos, com aquilo que você chama de loucura, deixe-me ser eu, apenas eu. Deixe-me fora daquilo que a sociedade condena como normal, como comum.
 
A única liberdade é o pensamento. Deixe-me ser livre.

Nenhum comentário: